Slow Fashion

10:55
Hi guys!

Não sei se todos vocês conhecem o movimento fashion revolution, mas foi o que me inspirou a escrever o post de hoje. O fashion revolution é um movimento que foi criado por um conselho global dos líderes da moda sustentável após o desabamento do edifício Rana Plaza, em Bangladesh em abril de 2013 que deixou 1,133 mortos e mais de 2500 feridos. Essa campanha surgiu para conscientizar as pessoas sobre o verdadeiro custo da moda fast fashion, e mostrar que há outras possibilidades no consumo de moda.

Devo admitir que durante o fashion revolution no ano passado, fiquei muito chocada ao assistir o documentário The true cost (disponível no netflix - trailer no youtube ), eu já havia assistido antes, mas estar estudando sobre moda e fazendo as disciplinas de projeto, onde precisamos confeccionar as roupas ( e percebemos como é trabalhoso ), fez com que o documentário me chocasse ainda mais. Foi depois disso que mudei (e muito!) minha maneira de pensar, afinal, alguém está pagando por aquela roupa que para você saiu por um preço super pequeno.

E é por isso que hoje eu trouxe um tema que eu acho muito interessante, digamos que entender esse conceito é o primeiro passo para um consumo de moda mais sustentável.



Bom, o termo 'slow fashion' ficou popular no começo dos anos 2000, em Londres, e é inspirado pelo movimento do 'slow food', que se baseia em ir contra os 'padrões' de consumo exagerado de alimentos industrializados e processados, que são vendidos pela indústria do fast food.

Em oposição ao fast fashion - nosso sistema atual de produção de moda que prioriza produção em massa, consumo exagerado do novo, globalização, mão de obra barata sem levar em conta os aspectos sociais da produção e escondendo os impactos ambientais causados -, o slow fashion surge como uma alternativa socioambiental mais sustentável. Lembrando que o slow fashion ( ao contrário do fast fashion) não é um sistema de produção, e sim um movimento de conscientização de compra.

A moda slow incentiva o reconhecimento de que os impactos das nossas escolhas (principalmente de consumo) afetam o ambiente e as pessoas. Assim como as decisões de quem produz a moda (produtores de matéria prima, designers, fabricantes, varejistas e sim, nós consumidores) devem ser pensadas para gerar menor impacto.

A prática do slow fashion preza pela diversidade, dá prioridade à produção local em relação à global, promove a consciência socioambiental, contribui para a confiança entre produtores e consumidores, tem transparência sobre a origem e produção de cada peça, preços reais que incluem custos sociais e ecológicos e mantém sua produção em pequena e média escalas.

A moda slow dá prioridade à qualidade das roupas, que possuem tempo de vida útil longo, ao invés de roupas de baixa qualidade que são substituídas com frequência. Tecidos naturais ( algodão, seda, linho, etc ..) são mais ecologicamente corretos, pois se decompõe mais rapidamente depois de descartados. Sabia que aquela brusinha linda que você tem, mas que é de poliéster, pode levar até 400 anos pra de decompor? 😱

( as roupas que usamos contam uma história )

Pequenos passos para introduzir o slow fashion na sua vida:

- Conserte. Caiu um botão? Estragou o zíper? Tem um pequeno buraquinho naquela jaqueta que você ama? Dê um jeito! Leve na costureira (sempre tenha uma de confiança por perto, vale a pena!) e peça ajuda dela para deixar sua peça com uma cara renovada. Sai mais barato ( para você e para o meio ambiente ) do que comprar uma peça nova.

- Não tenha medo de brechós. Eu tinha um pouco de preconceito com brechós, admito. Pensava que era só roupas que nem minha vó queria mais usar, mas comecei a frequentar brechós quando conheci o brechocão em Porto Alegre, é uma feira de vários brechós em que todo o lucro vai para abrigos de animais. Você ajuda o meio ambiente e os bichíneos juntos, só amor 💓

- Pesquise marcas de slow fashion. Se joga no Google e procure marcas que prezam pela sustentabilidade, normalmente são marcas pequenas com um design autoral e que tem peças em pequena quantidade. Pense que poucas pessoas vão possuir uma peça igual a sua.

- Leia sobre o assunto. Lá vem a louca dos livros, mas é só assim que se obtém informação, minha gente! Procure outros blogs, livros, sites e revistas que falem sobre slow fashion, moda consciente, e sustentabilidade. Você vai ficar chocada com a proporção que esse movimento já tomou!

- Tenha consciência. Você sabe mesmo o quanto seu estilo de vida impacta no meio ambiente? Pois então vai descobrir agora. Entra nesse site aqui e faça o teste! É uma calculadora da sua pegada ambiental, o resultado no final vai mostrar quanto tempo dura seu ano, e quantos planetas Terra seriam necessários caso todos vivessem com o mesmo estilo de vida que o seu.


Para encerrar, vou deixar vocês com dois vídeos que vi em aula, e que são muito interessantes para quem está começando a pensar sobre o assunto. 
O primeiro é um vídeo explicando o conceito de lowsumerism e que mostra como começou essa tendência de consumismo exagerado. 
O segundo é um vídeo de conscientização, acho lindo que ele termina com a frase ' você carrega a história de quem fez as suas roupas '

( The rise of lowsumerism )




Então é isso galerinha, espero que vocês tenham gostado e podem saber que haverão outros posts como esse a partir de agora.

Beijoss!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.